Motivação vs Prevenção

Motivação vs Prevenção

Motivação e Prevenção. Qual a Melhor Forma de se Motivar um Corredor?

 

Existem muitas formas de se motivar um corredor, a própria planilha é uma forma de motivá-lo a manter uma rotina de treinamentos. O problema é quando a motivação é exagerada, músicas, gritos de parceiros de corrida ou até do próprio técnico, incentivo de parceiros de equipe para “furar” a planilha e treinar mais do que estava programado para aquele treino…

Motivação vs PrevençãoLembro-me de uma maratona que eu estava correndo e um senhor que tinha por volta de 60 anos me passou, eu estava no meu ritmo, confortável a 5 min./ km, mas quando percebi que ele havia me passado comecei a acompanhá-lo num ritmo de 4:45/km. Nos primeiros 21 km, como eu estava bem treinado, foi tranquilo, mas percebi que estava fazendo uma besteira, pois não tinha treinado para aquele ritmo e diminuí a velocidade. Neste momento já era tarde demais. Continuei tranquilamente até os 36 km, dai em diante foi só sofrimento, paguei a conta e ao terminar a prova descobri que tinha lesionado a coxa e tive que me recuperar por 6 semanas.

A motivação gerada pela torcida e outros corredores em prova são um verdadeiro risco, uma simples frase na camiseta do corredor da frente já faz com que você aumente sua velocidade sem que perceba.

Não há como mensurar o quanto de estímulos podemos dar ao corredor para que ele dê o seu máximo sem se machucar, o  único que consegue sentir o próprio corpo é você mesmo, não ignore os sinais que o seu corpo está te mandando.

Por outro lado quero deixar uma frase que vi tatuada num corredor que conheço que realmente me chamou a atenção para que vocês não digam que não sou a favor da motivação:

“Quando penso que cheguei ao meu limite, descubro que tenho forças para ir além.”

Está frase é do Airton Senna um dos maiores ídolos do esporte de todos os tempos.

Fonte: Webrun

Agende sua Consulta

Artigo Escrito Por:

Claudio CotterCláudio Cotter Fisioterapeuta

CREFITO 30874-F

Instagram: @ccotter77

  • Graduado em Fisioterapia pela Universidade Cidade de São Paulo;
  • Pós Graduado em Medicina Psicossomática – Associação Brasileira de Medicina Psicossomática;
  • Especialista em RPG;
  • Formação no Método Busquet;
  • Formação no Método Força Dinâmica;
  • Fisioterapeuta-assistente da Confederação Brasileira Macabi;
  • Ex-Fisioterapeuta da Seleção Brasileira Feminina de Futebol (CBF);
  • Colunista do Portal Ativo.com